BRASIL

Peemedebistas que votariam contra o impeachment devem faltar à sessão



Senadores do PMDB que votariam contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff não devem participar da votação desta quarta-feira (11). De acordo com um dos senadores da bancada, a presidente contaria com 5 dos 18 votos do partido, mas só dois deles devem vir ao plenário.

De acordo com o peemedebista, os senadores Jader Barbalho (MA), Edison Lobão (MA) e o ex-ministro das Minas e Energia Eduardo Braga (AM), que até então não revelaram seu posicionamento, votariam contra o afastamento da presidente. Nenhum deles, porém, deve comparecer à votação no Senado – Braga está licenciado do cargo e Barbalho está doente; Edison Lobão, por sua vez, não confirmou se viria.

Outros dois senadores, João Alberto Souza (MA) e Roberto Requião (PR) já declararam voto contra o impeachment e vão participar da sessão. João Alberto, entretanto, não se inscreveu para discursar no plenário. Ele disse não achar "necessário".

Alguns senadores do PMDB que declararam ser contrários ao impeachment receberam a visita do líder da bancada, Eunício Oliveira (CE), nos últimos dias. De acordo com eles, não haverá retaliação. Oliveira se comprometeu a anunciar voto a favor do impeachment em nome da bancada, mas confirmou que os demais senadores estariam livres para expressar voto contrário à abertura do processo.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.