BRASIL

Corte nas viagens de Dilma foi resposta de Temer a ataques de petistas



Cansado dos ataques da presidente afastada Dilma Rousseff e do cerco que os petistas e seus liderados estão fazendo à sua família e à sua casa, em São Paulo, o presidente em exercício Michel Temer (PMDB) decidiu partir para o enfrentamento.

O primeiro sinal de que o chefe do governo interino mudou seu comportamento foi o parecer da Casa Civil preparado na semana passada regulamentando os direitos da presidente afastada. Além de cortar viagens com aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para outros locais que não Porto Alegre (RS) – cidade onde a presidente afastada mantém sua residência pessoal –, o Planalto decidiu que só Dilma terá direito a utilizar o cartão de crédito corporativo para suas despesas pessoais. Quando ela estava no exercício da Presidência, alguns dos auxiliares dela também utilizavam o cartão.

"A decisão do Senado foi muito genérica e precisava de uma regulamentação porque, do jeito que estava, o céu era o limite e como eles não tinham limite, estavam ultrapassando o limite do céu", afirmou o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, acrescentando que se esperava que "houvesse parcimônia" de Dilma e sua equipe, mas o que houve, segundo ele, foi exatamente o contrário.

O que mais incomodou o presidente em exercício, além dos "abusos", foram os seguidos cercos à sua casa, que deixaram temerosos sua mulher, sua sogra e seu filho de 7 anos, obrigando o governo a reforçar a segurança. Temer, sua família e seus auxiliares diretos se queixam que ninguém foi incomodar os familiares da presidente afastada em Porto Alegre. Neste fim de semana, os protestos se repetiram em São Paulo e voltaram a incomodar o chefe de governo interino.

Geddel comentou também sobre os problemas causados por Dilma com a decisão de viajar pelo Brasil. "Eles pediam uma série de coisas que não cabiam. Cada viagem, eram inúmeros funcionários que tinham de ir, até em grupos precursores para preparar sua chegada, como se fosse a presidente no exercício do cargo. Na verdade, estava indo fazer comício com dinheiro público", disse.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.