BRASIL

Temer garante verbas para Saúde e Educação e se defende de "herança" de Dilma



O presidente interino Michel Temer garantiu, durante cerimônia de posse de presidentes de instituições financeiras na manhã desta quarta-feira (1), que não promoverá cortes no orçamento dos ministérios da Saúde e da Educação. Ele ainda se defendeu das críticas ao início de governo e disse que "não se pode debitar os erros da nossa heranca ao governo" atual.

Em um rápido discurso, Temer tentou se afastar da imagem de que vai acabar com investimentos em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento do País. "Os percentuais [de verba] referentes à Saúde e à Educação não serão alteradas", garantiu. "E vamos manter os programas sociais", frisou.

Durante a cerimônia, que deu posse aos presidentes de estatais como a Petrobras, o BNDES e a Caixa Econômica Federal, o peemedebista também minimizou os vazamentos de áudios gravados pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, nos quais caciques do PMDB foram flagrados em suposta tentativa de barrar o andamento da Operação Lava Jato.

O senador Romero Jucá, o presidente do Senado Renan Calheiros e o ex-presidente do Brasil José Sarney tiveram suas conversas divulgadas - Romero Jucá pediu "afastamento". O ex-ministro da Transparência, Fabiano Silveira, também teve seu diálogo registrado por Machado e pediu demissão nesta segunda-feira.

"Quero revelar, pela enésima vez, que ninguém vai barrar a Lava Jato. Não haverá a menor possibilidade de qualquer interferência do Executivo nessa matéria."

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.