BRASIL

Ratinho é condenado por trabalho escravo



Carlos Massa, o Ratinho, foi condenado em terceira instância a pagar R$ 200 mil por não respeitar leis trabalhistas, como não conceder intervalo para alimentação e descanso, não fornecer equipamentos de segurança adequados e contratar de forma irregular na fazenda que era proprietário em Limeira do Oeste, Minas Gerais.

As denúncias foram feitas por ex-funcionários no início de 2010. A defesa do apresentador alega que ele era sócio do negócio, mas que vendeu sua parte em abril daquele ano.

Rodrigo Puppi Bastos, advogado de Ratinho, disse ao portal “UOL” que irá recorrer da sentença no Supremo Tribunal Federal e negou as acusações de trabalho escravo.

“Existe uma condenação pelo descumprimento de três aspectos da legislação trabalhista, mas não por reconhecimento de trabalho análogo à condição de escravo, uma das denúncias do Ministério Público. Isso é um absurdo, não existe”, afirmou.

A assessoria de imprensa do artista informou que ele não poderia falar, já que perdeu a voz recentemente, e que Ratinho está chateado com a repercussão do fato, algo que acabou prejudicando a sua saúde.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.