BRASIL

Dilma chora, chama Temer de usurpador e diz que respeito às urnas está em jogo



Em duro discurso contra ex-aliados, Dilma Rousseff chamou o governo do presidente em exercício Michel Temer de usurpador, afirmou que o que está em jogo no processo contra ela é o respeito às urnas e se emocionou ao exaltar as conquistas de seu mandato, na manhã desta segunda-feira (29), em seu depoimento de defesa do julgamento final do impeachment, realizado no plenário do Senado Federal.

A petista iniciou sua fala quase uma hora após o horário previsto, para as 9h, após chegar ao Congresso Nacional acompanhada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por ex-ministros de seu governo e pelo cantor e compositor Chico Buarque, uma das personalidades mais ferrenhas na defesa da continuidade da petista no governo federal. Ao chegar à Casa, ela foi ovacionada com gritos de "Dilma, guerreira, do povo brasileiro".

"Hoje, mais uma vez ao serem feridos nas urnas setores da elite política e econômica, nos vemos diante do risco de ruptura democrática. Os padrões políticos dominantes no mundo repelem a violência explícita, mas agora é a violência moral, usando pretextos da Constituição para dar uma pretensa aparência de legitimidade para um governo que assume sem o amparo das urnas", atacou Dilma no discurso de 43 minutos de duração.

 "São pretextos para derrubar por meio de um impeachment sem crime de responsabilidade um governo legítimo. São pretextos para viabilizar um golpe na Constituição, que, se consumado, resultará na eleição indireta de um governo usurpador."

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.