BRASIL

Bangu: 4 a cada 10 jovens não se consideram héteros



Quem já curtiu um barzinho em Bangu (zona oeste do Rio de janeiro), já se deparou com a diversidade de gêneros, estilos e personalidades. O largo de Bangu e redondezas, fica repleto de pessoas nos finais de semana, onde pode se ouvir de tudo, encontrar de tudo e "fazer" de tudo.

Antes de fazermos uma pesquisa com o público, observamos que o espaço é muito democrático e quase não possui sinais de preconceito, o que não significa que seja seguro.

Perguntamos para alguns jovens sua orientação sexual,  37% alegaram que são do grupo LGBT, 3% não se consideram do grupo LGBT, mas que não são totalmente héteros. Dos entrevistados, 84% disseram que acha o local seguro para ambas partes, 11% já sofreram agressões verbais e 5% agressões físicas. Das pessoas que já sofreram algum tipo de agressão, 99% disseram que partiu do próprio grupo, e que as brigas não se relacionam com opção sexual e sim por outras causas.

Esse número é completamente diferente dos demais bairros da cidade. Essa semana tivemos um caso completamente covarde, onde duas trans foram agredidas a pauladas em Santa Cruz. Esse é apenas um dos milhares de casos que acontecem todos os dias no Rio de Janeiro.

Até quando haverá preconceito e discurso de ódio contra o "Diferente"?

(opinião)

Estava lendo um infeliz comentário de uma famosa, é claro que cada um possui o direito de expor seus pensamentos, mas até quando alguns irão se achar os donos da razão? Será que o diferente não pode conviver em sociedade? Estamos vivendo em tempos perigosos, onde o seres humanos em geral são mais ignorantes, mesquinhos, quase que impossíveis de conviver uns com os outros. É muita gente tomando conta da vida da outra, julgando pela roupa que veste, pela música que houve, pela opção sexual, pela personalidade física... Que chato! O mundo está muito chato! Errado é distribuir o ódio, se dizer tão correta e não ajudar quem precisa. Pecado é não amar ao próximo, julgar as pessoas e não aceitar o diferente (o que significa não concordar, mas sim aceitar) para que possamos conviver em paz e em harmonia. Vamos AMAR, pra transmitir o ódio já basta alguns que fazem maldades todos os dias.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.